Olá!

Principium Digital

Marketing Digital Gestão de Mídias Sociais Marketing Estratégico e Comunicação Naming Desenvolvimento de Marca Inbound Marketing

Saiba Sobre

Olá!

Principium Ditital

Marketing e Comunicação Digital

A Principium digital foi idealizada pensando nas pequenas empresas e profissionais autônomos, que precisam de ajudar no mundo digital, com experiência em comunicação estratégica para marcas, com foco em geração de valor e negócios, e com 100% de foco em resultados. Diante de centenas de tecnologias e redes sociais que mudam o tempo todo, cabe a nós a função de filtro onde estudamos e selecionamos as melhores ferramentas e serviços para nossos clientes. Não acreditamos que exista uma solução “pronta” para o sucesso de nossos clientes. Assim, é também o papel da Principium Digital diagnosticar, pesquisar e testar nossas soluções, criando uma fórmula específica para o sucesso de cada cliente...

experiência

Administração de mídias sociais

Sua empresa na rede

Voltada para pequenas e médias empresas. Alcance maior visibilidade para a sua marca e crie um relacionamento com os clientes.

Criação de LOGOS

Design

Temos experiência no desenvolvimento de logos e na criação de identidade visual, assim criamos a personalidade de que precisa

Criação de Blog

De forma simples e direta

Uma solução de baixo custo, para colocar a sua empresa em uma primeira experiência através da sua página na internet

Elaboração de Plano de Marketing

Faremos isso juntos

Elaboramos um plano para seu desenvolvimento no varejo "online" e "offline", e faremos isso do jeito que você precisa com sua ajuda.

O que fazemos

Naming

Naming é o trabalho de escolha do nome do produto, serviço ou empresa estabelecendo uma relação direta com o posicionamento pretendido.

comunicação digital

Através da comunicação digital, teremos uma maior proximidade e controle de seus clientes no processo de construção de marca.

Marketing Estratégico

Envolve planejamento e análise com uma visão de futuro, e também foco total nos desejos, necessidades e interesses dos clientes.

Gestão de mídias sociais

São sistemas projetados para possibilitar a interação social a partir do compartilhamento e da criação colaborativa de informação nos mais diversos formatos.

desenvolvimento de marca

Por meio de práticas e técnicas de comunicação, design, marketing, entre outros, é possível manter uma marca sempre no topo.

Social ads e Links Patrocinados

Utilizamos informações de perfil e preferência de usuários para conectar sua marca a potencial consumidores através das redes sociais.

5

CLIENTES

13

REUNIÕES

3

PROJETOS

144

AÇÕES DE MÍDIA

artigos, textos e projetos

Ainda vale a pena distribuir panfletos para divulgar um negócio?

O marketing digital já mostrou que consegue atingir pessoas de forma exponencial. Mas os anúncios tradicionais ainda têm espaço?
 
Por Mônica Lobenschuss, especialista em marketing digital

Ainda vale a pena fazer anúncios e distribuir panfletos? 
 
Um dos fundamentos do marketing é promover as marcas, produtos e serviços, valorizando os seus diferenciais, para o público certo. E isso deve ser feito usando as mídias e canais mais adequados para cada caso. É claro que o marketing digital e a comunicação nas redes sociais já mostraram que conseguem atingir pessoas de forma exponencial, usando pouco recurso e falando para um público totalmente focado no seu projeto.

Mas, em muitos casos, os anúncios tradicionais e os panfletos ainda ajudam bastante, pois nem todos têm acesso a algumas soluções tecnológicas.

Um bom exemplo é o caso dos folhetos de apartamentos, distribuídos no farol, por promotores. Se você busca um imóvel, está no bairro preferido e recebe esse material, pode resolver visitar a unidade decorada e efetuar a compra. No entanto, sabemos que milhares de folhetos vão para as mãos de pessoas que não buscam um imóvel.

Por isso, em breve, você receberá uma mensagem no seu celular com os empreendimentos na região. Hoje o mercado já dispõe de recursos para saber se você busca imóveis, que tipo de planta e lazer deseja e em que bairro quer morar. Como esse recurso não é usado por todos, por hoje, o folheto tem forte importância.

Esse é o caso também das pizzarias, por exemplo, entre outros negócios. Mas, assim como em outras áreas, com os aplicativos de pedidos, cada vez mais o público deixará de usar o tradicional impresso. Os anúncios também têm seu papel. Mas vale a dica de testar várias mídias e avaliar os resultados, sempre, para buscar melhorias constantemente na performance das campanhas e nas vendas.

Mônica Lobenschuss é fundadora da rede de franquias de mídias sociais Social Lounge.
Fonte: PME - EXAME
Fonte da imagem: Clique aqui  

Como esta técnica simples de marketing já salvou muitas empresas

O que é inbound marketing? Saiba como a estratégia de produção de conteúdo qualificado pode aumentar as vendas do seu negócio 

Por Mariana Fonseca

Quando se pensam em estratégias de marketing, a primeira que vem à mente é a de inserir comerciais: você está assistindo a uma novela na televisão e, de repente, uma propaganda aparece.
PUBLICIDADE

Os tempos mudaram. Hoje, o mundo do marketing prefere um modelo mais parecido com o da Netflix: direcionar a série certa para o público certo é que gerará mais vendas, e não a inserção de publicidade.

É mais ou menos assim que o inbound marketing – um termo que ganhou notoriedade no mundo das empresas nos últimos anos – funciona. Por meio de produção de conteúdo relevante e de relacionamento com o consumidor, um negócio consegue atrair seus clientes e gerar vendas mais qualificadas de seus produtos e serviços.

O inbound tem apresentado resultados relevantes: segundo a startup Resultados Digitais, 93% das compras efetuadas em ambiente online começam com uma simples pesquisa em buscadores. Além disso, 80% dos consumidores preferem buscar informações sobre um determinado produto em um artigo completo do que em um anúncio publicitário.

“Antes, eu era obrigado a ver um conteúdo em um certo horário e suportar os comerciais. A publicidade tradicional começou a perder valor: as pessoas não têm mais paciência e ela está cada vez mais curta, como vemos no YouTube, que possui anúncios com duração de 15 a 30 segundos”, explica Vitor Peçanha, co-fundador da Rock Content.

O lado bom disso tudo: agora, as pequenas e médias empresas conseguem fazer um marketing tão eficiente quanto as gigantes, já que a regra é ser relevante e não pagar anúncios vultosos em grandes canais de mídia.

Mas como sua pequena empresa pode aproveitar o inbound marketing, que não envolve grandes custos, para incrementar as vendas durante a recessão econômica? Confira, a seguir, como fazer bom uso dessa estratégia: 

A base do inbound marketing

O primeiro passo para fazer o inbound marketing é saber o que seu público-alvo deseja. “Você pode descobrir o que eles querem por meio de pesquisa de volumes de buscas no Google, por exemplo, e isso pode ser feito com softwares gratuitos ou pagos”, explica Peçanha, da Rock Content.

Depois de descobrir interesses, sua empresa deve produzir informações que façam sentido com tais buscas – e o post deve ser tão bem executado que atraia vários potenciais clientes.

“Alguns deles irão se identificar, e aí você conseguirá vender. Esse processo de seleção é conhecido justamente pelo nome de funil de vendas.”

Um exemplo prático do inbound em ação são os blogs: eles produzem postagens relevantes para seu público-alvo, gerando vendas por meio de um modelo que integra conteúdo e publicidade. “Antes, os blogs eram apenas diários pessoais. Agora, são sites estruturados de conteúdo de nicho – ou seja, são o inbound personificado”, explica Celso Fortes, diretor da agência digital Novos Elementos.
Dicas extras para fazer um inbound marketing excepcional

1 – Deixe de lado as propagandas

A primeira dica para sua empresa fazer um inbound marketing excepcional é, claro, não pensar que seus posts são propagandas. “Não corte o conteúdo para falar ‘compre da minha empresa’ ou algo parecido. Seu negócio irá vender como consequência de seu conteúdo ser relevante”, explica Peçanha, da Rock Content.

2 – A mentira não compensa

Da mesma maneira, mantenha o compromisso com seu público-alvo e entregue o que promete em seus títulos e chamadas de busca. “Se a cada etapa, da leitura até a compra, o usuário não receber exatamente o que está procurando, o funil de vendas do inbound marketing é quebrado”, afirma Fortes, da Novos Elementos. “Não adianta você anunciar algo e, quando o cliente entra, ver outra coisa. Há até ferramentas no Google que coíbem esse tipo de anúncio.”

3 – Assuma o compromisso de publicar sempre

Quanto aos posts em si, Peçanha recomenda sempre atualizar o blog da sua empresa com novos conteúdos. “Cada post atrai uma parcela do seu público-alvo. Cobrindo mais temas do universo do seu mercado, suas possibilidades de venda aumentam. Pense em sua marca como uma editora.”

4 – Aposte em conteúdos duradouros

Outra dica é apostar em informações que não percam valor ao longo do tempo – um tipo de conteúdo chamado de evergreen.

Pense em um post como “Cinco receitas para cozinhar com bacon”, por exemplo. “Há informações nesse conteúdo que podem ser relevantes a qualquer momento. Na internet, essa qualidade é muito importante: as pessoas podem pesquisar seu post independentemente do noticiário, gerando tráfego recorrente”, diz Peçanha.

5 – Atenção com as métricas

Mesmo a base do inbound marketing sendo a produção de informações relevantes, a técnica vai além de um simples “marketing de conteúdo”. Uma parte igualmente essencial é a medição dos resultados em termos de receita para sua empresa.

“Muita gente esquece da parte de ter uma metodologia para transformar toda essa audiência em vendas. Acompanhe todas as métricas: visitas globais, visitas de cada post e, principalmente, quanto é vendido a cada mil visitas”, conclui Peçanha.

Fonte: Exame
Fonte da imagem: Clique aqui 

Vale mais a pena ter uma loja virtual ou vender via marketplace?

Está dúvida sobre o que vale mais a pena para o seu negócio? Veja essas dicas e defina sua presença na internet para vender mais.
 
Por Cristina Farjallat, especialista em negócios digitais

Hoje em dia nada mais natural para um empreendedor do que estar presente em um ambiente digital, seja com uma loja virtual ou em um marketplace. Os motivos para ter presença online são muitos, mas há sempre a finalidade de atrair clientes e dar mais visibilidade ao negócio.

Porém, qual a diferença entre ter apenas uma loja virtual e vender em um marketplace? Quais são as vantagens e desvantagens de cada um? É importante e essencial avaliar o perfil do negócio antes de tomar uma decisão.

Estar em um marketplace significa ter um fluxo de acesso muito maior do que em seu próprio site. A força geradora de audiência é muito mais poderosa para quem quer vender, além de disponibilizar mais ofertas para quem quer comprar. A quantidade e variedade de ofertas é um grande chamariz de clientes.

Enquanto o vendedor se dedica 100% ao portfólio de produtos, gestão de seu negócio e atendimento ao cliente, o administrador do marketplace, fornecedor da solução, fica responsável por grande parte do trabalho, como visibilidade, divulgação das ofertas, investimento em tecnologia, sistemas de pagamento e logística, etc. Esses são alguns motivos que fazem com que os marketplaces sejam uma ótima opção para os empreendedores.

O Mercado Livre, por exemplo, conta com um sistema de reputação. Nele, o comprador pode analisar o vendedor atribuindo notas, levando em consideração a qualidade do negócio efetuado. De acordo com essa avaliação, as vendas crescem ou diminuem, fazendo com que o ambiente do marketplace seja ainda mais democrático.

Os sites de e-commerce com maior audiência no mundo, ou seja, que mais recebem visitas, são os marketplaces. Conhecidos também por shoppings virtuais, estima-se que esse modelo de negócio corresponda a 90% do faturamento do varejo online na China e 33% nos Estados Unidos, de acordo com dados da empresa de tecnologia Channel Advisor. No Brasil, esse número chega a cerca de 20%.

Mas então, diante desse contexto, há alguma vantagem em ter apenas a loja virtual, sem presença no marketplace? Pensando em autonomia nas ações, sim. A liberdade para interagir, criar relacionamentos e vender como achar melhor podem ser vantagens quando o assunto é a margem de lucro, que pode ser maior já que não há comissões e taxas como é o caso do marketplace.

Ainda sobre a questão financeira, a gestão é feita inteiramente pelo próprio empreendedor, que também terá que atrair os clientes para seu endereço virtual por conta própria. Ele poderá expor os produtos e não irá se preocupar com a concorrência, que no caso do marketplace, estará possivelmente na mesma página.

Tendo em vista a competitividade do mercado virtual atualmente, o cenário ideal é possuir uma loja virtual própria e posicioná-la dentro de um marketplace. Grandes varejistas do Brasil e do mundo já estão fazendo isso. Assim será possível gerar mais tráfego para o seu próprio site, já que os visitantes irão se interessar pelo produto exposto no marketplace e buscar outras mercadorias, e estar mais visível no acirrado mundo das compras online.

Cristina Farjallat é diretora do marketplace do Mercado Livre no Brasil. 
 
Fonte: Exame
Fonte da imagem: Clique aqui

Do branding natural ao branding necessário

Entenda como o Branding é capaz de resgatar a essência empreendedora da sua empresa depois que você assume o papel de gestor.

por Ricardo Guimarães

Branding natural é aquele feito intuitivamente pelo fundador. O jeito de pensar e fazer as coisas na empresa está na sua cabeça e no seu coração. Seu espírito empreendedor, suas crenças, pressupostos e certezas dão a ele a segurança para apostar, assumir riscos e inovar. Sua marca pessoal se confunde com a marca da empresa e dos produtos.

Esse é o branding natural, que imprime no negócio uma identidade e um estilo que o faz original, ágil, criativo e audacioso.

Identidade original e clara no comportamento de uma empresa ou de uma linha de produtos inspira confiança e reduz seu custo de crescimento porque todos os que se relacionam com ela sabem o que podem esperar e acreditam no seu futuro, sentem seu carisma e magnetismo.

O sucesso chega com certeza.

O negócio que era pequeno e simples fica grande e complexo, o fundador não pode estar próximo como no começo e contrata gestores para tocar a operação. A cultura do dono agora tem que virar cultura organizacional para que todos possam compartilhar um jeito de pensar e fazer. Instala-se um padrão de qualidade com controles que permitem a expansão com segurança.

Quanto maior e mais complexa a empresa, maior o controle para garantir a qualidade e a eficiência no padrão desejado. O objetivo é fazer a empresa funcionar como um relógio.

Mas o sucesso traz um risco: o espírito empreendedor que deu origem ao negócio pode ser inibido ou mesmo ser eliminado pelo espírito gestor, da mesma maneira que a subjetividade e a capacidade de inovar e assumir riscos é substituída pela objetividade e competência de controlar. É comum nesta fase da história da empresa as pessoas se orgulharem de não terem opinião pessoal, É o império da objetividade. E do medo. O erro é imperdoável.

A identidade que antes residia na cabeça e no coração do fundador, agora é um papel a que todos se referem para justificar planos e decisões. Não está na mente e no coração de ninguém. Está na parede, na hierarquia e nas pesquisas de mercado. A confiança na empresa e nos seus produtos começa a diminuir porque seu comportamento padronizado e comoditizado pelas melhores práticas é comum e estereotipado.

É normal, nestas circunstâncias, a empresa começar a perder mercado, rentabilidade e valor.

Essa é a hora em que o Branding se faz necessário para trazer de volta o espírito empreendedor e fazê-lo atuar lado a lado com o espírito gestor.

A convivência entre o espírito gestor e o espírito empreendedor é tensa. E é boa porque é tensa. É uma oposição complementar que, bem gerenciada, promove a evolução.

Se você é empreendedor e está na fase de contratar gestores para o seu negócio ou é um gestor que quer assumir liderança substituindo um fundador, avalie se há identificação de crenças e visão de mundo. Não veja apenas competências e interesses. Essa é a recomendação do Branding para garantir o valor da subjetividade, da inspiração e da inovação e promover o seu convívio com o valor da objetividade e da segurança requeridos pela gestão do porte e da complexidade.

É aí que reside a vitalidade da cultura de uma marca inovadora que se atualiza permanentemente tornando-se perene e de alto valor de mercado.

Ricardo Guimarães é fundador e CEO da Thymus Branding.
Fonte: Endeavor

3 passos simples para vender mais (e melhor) pela internet

O comércio eletrônico não é diferente do comércio tradicional no fato de que, para que as vendas aconteçam, você precisa de presença na sua loja
Por Mariana Fonseca

Como vender bem numa loja virtual? O comércio eletrônico, em sua essência, não difere do comércio tradicional. Para que as vendas aconteçam você precisa de presença – ou tráfego – na loja. Para que tenha esse tráfego, é necessário atrair o seu público e só existe uma forma de fazer isso: presença nos canais onde seu cliente está.

As diferenças começam nas formas pelas quais você faz isso. Na internet, por exemplo, uma das primeiras coisas com as quais você precisa se preocupar é como está sua presença nesta mídia. Sim, internet é uma mídia, que permite a veiculação de informação e publicidade. Mas também é uma plataforma que permite a realização de transações.

Da mesma forma que você precisa estar presente na mídia comum para atrair pessoas para sua loja física, deve estar presente na internet para que seu público alvo e potenciais clientes que navegam por ela possa identificar você como possível fornecedor de produtos e serviços que atendam às suas demandas.

Mais do que a expressão da moda, a ferramenta adequada para fortalecer sua posição na internet e com isso criar condições para aumentar o tráfego em sua loja virtual é o chamado inbound marketing: atrair potenciais clientes com a publicação de conteúdos interessantes, gratuitos, relevantes para o seu público alvo e relacionados direta ou indiretamente ao produto ou serviço que vende é o princípio ativo desta ferramenta.

Iniciativas de inbound marketing podem ajudar a manter e aumentar suas vendas em seu comércio eletrônico de algumas formas.

Você já está na internet, tem um site e usa as mídias virtuais para apoiar sua presença virtual. Por que não utilizar esses canais para manter o contato de seus clientes com sua marca, com informação de qualidade e gratuitas?

Tudo o que você precisa é que deixem seus e-mails, para você utilizar em campanhas de e-mail marketing, por exemplo. Alguns deles irão além e poderão partir diretamente para a sua loja virtual para conferir alguma coisa relacionada ao que ele leu.

Para que esse esforço valha a pena e funcione, você precisa prestar atenção em alguns pontos importantes para o chamado marketing na internet: 

1 — Tenha atenção com seu site

Seu site é como a arquitetura e decoração de uma loja física. Precisa ser atraente, passar o seu posicionamento e diferenciais, falar a linguagem adequada ao seu público alvo e ser fácil de usar. Um site mal desenhado afasta o potencial cliente. Jamais o negligencie.
2 — Construa conteúdos relevantes para quem interessa a você

Procure conhecer quem compra em sua loja. Você precisa endereçar seus conteúdos e ofertas a estas pessoas. Uma forma interessante de fazer isso é criar personagens inspirados na vida real que descrevam seus clientes potenciais – as chamadas personas. Enderece seus esforços para essas personas e você provavelmente atingirá em cheio quem você procura.

3 — Utilize com sabedoria as ferramentas de busca

Umas das condições mais importantes para o aumento do tráfego e, consequentemente, das vendas em sua loja virtual é utilizar estratégias que coloquem seu site nas primeiras posições de busca no Google, por exemplo.

São as ferramentas de otimização de busca (SEO, em inglês). Isso vai ajudá-lo a ser encontrado pelos seus clientes potenciais ao buscarem por produtos ou serviços que você vende.

É claro que, para que a compra se efetive, você precisará ter bons produtos e bom atendimento. De nada adianta atrair e deixar o seu potencial cliente frente a frente com a compra se você tornar as coisas difíceis para ele ou não prover os meios necessários para que tenha suas dúvidas esclarecidas. Ajude o seu cliente a comprar e tenha sucesso!

Enio Klein é CEO & General Partner da empresa de consultoria Doxa Advisers.
Fonte: MPE Exame

Confira 10 dicas de comunicação para aumentar a visibilidade de sua empresa

por Redator Rock Content

Está iniciando sua empresa e não sabe como fazer para incluir sua marca no mercado? Ou você já tem sua empresa e não sabe ao certo como fazer para dar mais visibilidade à ela? Tenha a certeza que, independente do ramo de atividade em que você atua, dificilmente 100% dos seus concorrentes fazem o planejamento correto para suas ações de marketing e comunicação (muito pelo contrário: a maioria não planejam seus objetivos e estratégias para divulgar seus maiores benefícios).


Esta é a primeira dica: planeje suas ações corretamente e saia na frente de seus concorrentes! Quanto mais profissionalismo sua empresa tiver com a comunicação institucional e de seus produtos e serviços, melhor será a recepção dos clientes. Coloque mesmo no papel as ideias, métodos (como chegar lá) e meios e faça-se presente no mundo dos negócios!

Abaixo, mais 10 dicas para você arrebentar nas vendas e aumentar a visibilidade de sua empresa no mercado!

1) Foque o alvo
Conheça seu público. Pesquise sobre seu comportamento e preferências, crie personas, entre em seu universo, converse, escute e observe. Quanto mais informações tiver sobre seu público, melhor será a comunicação e as chances de a sua marca conquistar a confiança deles e se engajá-los é maior.

2) Acompanhe sua concorrência

É fundamental conhecer, além do público, as ações da concorrência. Pesquise seus pontos fortes e fracos e verifique a resposta do mercado. Eles estão investindo em propaganda? Tem presença nas redes sociais? Sobre quais assuntos eles publicam na web? As ideias surgirão e te ajudarão a entender melhor seu mercado e o contexto em que sua marca será inserida.

3) Transmita seus valores

Qual a personalidade de sua marca? Qual seu posicionamento? Sua empresa é mais tradicional ou moderna? Sua equipe é descolada ou intelectual? Qual imagem você quer que seus clientes e mercado tenham da sua marca? Descubra e compartilhe-os. Perceba seus diferenciais e evidencie-os no intuito de tornar sua marca única.

4) Conte uma história

Obter informações das empresas fazem parte do dia a dia das pessoas. Está fácil conseguir dados como história, contatos, diferenciais e referências (positivas ou não) do empreendimento que vende o produto/serviço de interesse do consumidor. O público gosta de opinar e compartilhar boas histórias. Evidenciar a trajetória da empresa e transmiti-la em sua identidade é no mínimo estratégico.

5) Use designs responsivos

É essencial para uma empresa que todos seus materiais e sites estejam adaptados para que os diversos meios consigam reproduzi-los da melhor maneira. Como seu site é visto em um tablet ou em um smartphone? Cada vez mais os acessos através de tecnologias móveis aumentam, então tudo o que envolve sua marca deve estar pronto para ser acessado de tablest e smartphones, assim como de laptops e computadores!

6) Seja simples e direto

São dezenas de e-mails com inúmeras informações que todos recebemos diariamente. E para chamar a atenção no meio de todas estas mensagens, o título precisa ser convidativo e a mensagem breve e clara (deixe os detalhes para o blog ou newsletter). Por isso, quando for divulgar as informações comerciais aos seus clientes, pense estrategicamente, e, se for o caso, ligue após um tempo para perguntar se recebeu o email e se tem alguma dúvida. Unir email com ligação, se o cliente estiver interessado, será mais um ponto positivo para sua empresa.

7) Crie um nicho estratégico

Pense em abordagens incomuns. Personalize suas mensagens de acordo com o cliente. Faça campanhas para clientes que utilizam certo produto, apresentando novos produtos e serviços que possam ser do interesse deles. Divulgue seus diferenciais como bom atendimento, proximidade e suporte agilizado. Seja único e mostre seus benefícios de um modo estratégico para deixar seus concorrentes para trás.

8) Faça Brainstorm

Terá uma nova campanha de vendas ou lançamento de algo importante? Não tenha medo de errar. Muitas vezes as piores ideias são o norte para as melhores estratégias. Reúna toda sua equipe, ou pelo menos uma pessoa por departamento, misture opiniões, debata, seja ousado! Cada colaborador lida de um jeito com seu cliente e poderá contribuir de um modo positivo.

9) Preste atenção nos detalhes

Vista a camisa da empresa e saiba vendê-la com amor e paixão pelo que faz. Mas não venda somente o produto, venda a possibilidade de aumentar negócios, concretizar o sonho do cliente e agregar valor ao mercado. Preste atenção aos detalhes do comportamento do cliente na hora da venda. Verifique sua expressão ao falar de um assunto e como ele age ao falar de outro. Cada detalhe poderá servir futuramente para próximas vendas e fidelização.

10) Não é o fim

Vendeu? É só o início da parceria! Agora chegou o momento de agradecer a confiança, enviar um e-mail ou mensagem para avisar sobre o prazo de entrega, aplicar um questionário online sobre a experiência de compra e estreitar o relacionamento de vocês. Lembre-se que o mais difícil não é encontrar novos clientes, mas sim fidelizar os que já são parceiros. É preciso agradá-los, fazê-los se sentir importantes. Tratá-los da mesma forma que você gostaria que uma empresa agisse com você.
Comece desde já a planejar suas ações e apareça! Faça teste e não tema ser ousado e diferente, pois isso poderá conquistar a atenção de clientes e novas leads!

(Tatiana L. Apolinário é publicitária e pós graduada em marketing. Atualmente, é coordenadora/redatora da Momento Marketing e trabalha como redatora freelancer. E-mail: tati_apolinario@yahoo.com.br – blog pessoal: taticomunica.wordpress.com)

Fonte: Marketing de Conteúdo
Fonte da imagem

o que os clientes falam

Contamos com a assessoria da ACTIO Consultoria e da PRINCIPIUM, e temos conseguidos nos organizar tanto offline como online, modernizamos a logomarca, e estamos mais atuantes nas redes, e como resultado aumentamos o faturamento. Só temos a fortalecer a parceria.

Lailton Francisco

CEO da Sua Farmácia Manipulação

Sempre com capricho e atendendo minha necessidade de comunicação visual, minha logomarca, meus cartões e cartazes, além de cuidar de nossa visibilidade nas redes sociais, e sempre ficam um espetáculo.

Adriana Bezerra

Fature Contas Médicas

A PRINCIPIUM tem nos acompanhado mês a mês, com soluções em mídias sociais, trabalhos gráficos, além de aconselhamento na parte de consultoria empresarial. Sempre que precisamos ela está ao nosso lado.

Elinara Paiva

Comercial Ferro & Aço

(83) 999 854 484
principiumdigital@gmail.com
(83) 996 563 112
João Pessoa, Brasil

Contato Principium

Receba Novidades?