Olá!

Principium Digital

Marketing Digital Gestão de Mídias Sociais Marketing Estratégico e Comunicação Naming Desenvolvimento de Marca Inbound Marketing

Saiba Sobre

Olá!

Principium Ditital

Marketing e Comunicação Digital

A Principium digital foi idealizada pensando nas pequenas empresas e profissionais autônomos, que precisam de ajudar no mundo digital, com experiência em comunicação estratégica para marcas, com foco em geração de valor e negócios, e com 100% de foco em resultados. Diante de centenas de tecnologias e redes sociais que mudam o tempo todo, cabe a nós a função de filtro onde estudamos e selecionamos as melhores ferramentas e serviços para nossos clientes. Não acreditamos que exista uma solução “pronta” para o sucesso de nossos clientes. Assim, é também o papel da Principium Digital diagnosticar, pesquisar e testar nossas soluções, criando uma fórmula específica para o sucesso de cada cliente...

experiência

Gestão de mídias sociais

Sua empresa na rede

Voltada para pequenas e médias empresas. Alcance maior visibilidade para a sua marca e crie um relacionamento com os clientes.

Criação de LOGOS

Design

Temos experiência no desenvolvimento de logos e na criação de identidade visual, assim criamos a personalidade de que precisa

Criação de Blog

De forma simples e direta

Uma solução de baixo custo, para colocar a sua empresa em uma primeira experiência através da sua página na internet

Elaboração de Plano de Marketing

Faremos isso juntos

Elaboramos um plano para seu desenvolvimento no varejo "online" e "offline", e faremos isso do jeito que você precisa com sua ajuda.

O que fazemos

Naming

Naming é o trabalho de escolha do nome do produto, serviço ou empresa estabelecendo uma relação direta com o posicionamento pretendido.

comunicação digital

Através da comunicação digital, teremos uma maior proximidade e controle de seus clientes no processo de construção de marca.

Marketing Estratégico

Envolve planejamento e análise com uma visão de futuro, e também foco total nos desejos, necessidades e interesses dos clientes.

Mídias sociais

São sistemas projetados para possibilitar a interação social a partir do compartilhamento e da criação colaborativa de informação nos mais diversos formatos.

desenvolvimento de marca

Por meio de práticas e técnicas de comunicação, design, marketing, entre outros, é possível manter uma marca sempre no topo.

Social ads e Links Patrocinados

Utilizamos informações de perfil e preferência de usuários para conectar sua marca a potencial consumidores através das redes sociais.

9

CLIENTES

23

REUNIÕES

6

PROJETOS

268

AÇÕES DE MÍDIA

artigos, textos e projetos

Mostrando postagens com marcador conteúdo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador conteúdo. Mostrar todas as postagens

Mudanças - elas não param

Coisas que já mudaram e vão mudar "mais ainda". Pois uma certeza que temos é que as coisas vão mudar.
Segue uma lista de mudanças reais que aconteceram nos últimos anos e com certeza mais de uma da lista afetou sua vida ou seu comportamento de alguma forma.
1) O Spotify faliu as gravadoras;

2) O Netflix faliu as locadoras; Obs.: Lembrando que a Netflix começou como locadora, mas com o conceito de envio dos DVD's para seus consumidores sem prazo de devolução ou multas.

3) O Booking complicou as agências de turismo;

4) O Google faliu a Listel, Páginas Amarelas e as enciclopédias;

5) O Airbnb está complicando os hotéis;

6) O Whatsapp está complicando as operadoras de telefonia;
6.1) O instagram recentemente disponibilizou chamadas de vídeos;

7) As Mídias sociais estão complicando os veículos de comunicação;
7.1) Os veículos de comunicações tradicionais estão migrando para o meio digital;

8) O Uber está complicando os taxistas;
Obs.: Falam muito que o Uber afetou os taxistas, mas também afetou o uso de ônibus para a nova geração.
8.1) Por necessidade criaram o Easy Taxi;
8.2) E novamente com a ideia semelhante criaram o 99 taxi, primeiro unicórnio brasileiro;

9) A OLX acabou com os classificados de jornal;

10) O Smartphone acabou com as revelações fotográficas e com as câmeras amadoras;

11) O Zip Car está complicando as locadoras de veículos;

12) A Tesla está complicando a vida das montadoras de automóveis;

13) O E-mail e a má gestão complicou os Correios;

14) O Waze acabou com o GPS e obrigou a Google a melhorar o GoogleMaps;

15) O Original e o Nubank ameaçam o sistema bancário tradicional;
15.1) O Nubank se tornou o segundo unicórnio brasileiro;

16) A Nuvem complicou a vida dos Pen drive ou mesmo outras formas de guardar informações até mesmo a diminuição do uso de impressoras;

17) O Youtube complica a vida das tvs. Adolescentes não assistem mais canais abertos;
17.1) Isso é tão forte que o instagram acabou de criar a IGTV;
17.2) Muitos jovens hoje desejam seguir a profissional de youtuber que se quer exista;

18) O Facebook complicou a vida dos portais de conteúdo;

19) O Coaching mudou a forma de aprender, pensar e agir, levando a um novo modelo mental, gerando resultados extraordinários em um curto espaço de tempo nas organizações;

20) O Tinder e similares complicando baladas e "similares";

21) Com o Banco online não precisa mais ir até às agências;

22) Os croworking mudou o modelo de negócio de alugar salas comerciais;

23) As impressoras 3D estão cada vez mais acessíveis e pode afetar as empresas de vendas de lembranças e pequenos brindes;

24) O Bitcoin foi criado em 2009, se tornou primeira moeda virtual descentralizada;

25) O Watson já ajuda enfermeiros no dignostico de câncer, 4 vezes mais preciso do que os enfermeiros humanos;

70-80% dos empregos vão desaparecer nos próximos 20 anos. Haverá uma grande quantidade de novos postos de trabalho, mas não está claro se haverão novos empregos, suficientes em um pequeno período de tempo;
“Mudanças radicais acontecem quando surgem novos produtos ou serviços que substituem os existentes, fazendo as coisas acontecerem de forma melhor, mais rápida e mais barata”– Peter Diamandis, futurista e fundador da XPrize

E você acha que vai durar quanto tempo seu emprego na forma atual?

...e você quer viver como vivia há 10 anos?...

Temos que nos reinventar diariamente para continuarmos nesse "jogo" chamado VIDA.

Vamos em frente, não porque atrás vem gente. Mas, porque já tem muita gente na nossa frente!

(Texto original recebido via whatsapp, desconheço o autor, mas é bom refletir sobre isso)
Texto adaptado: Marcelo Cabral - ACTIO Consultoria
Fonte da imagem: Clique aqui

Coworking, home office e a pluralidade de possibilidades




Por Jorge Pacheco*

Nos anos 90, uma tendência chegou com força no mercado de trabalho, o home office. Ela consistia em uma pessoa trabalhar em sua casa, fazendo de sua residência seu escritório. As vantagens eram muitas, sem trânsito, sem o contato com terceiros, uma maravilha.

No entanto, fazer da sua casa seu ambiente de trabalho traz algumas desvantagens. Primeiramente, precisamos ter clara a divisão entre local de trabalho e de descanso. Se isso não ocorrer, é como se morássemos no escritório, usando o banheiro do escritório, a cozinha do escritório e dormindo entre as mesas. Pode parecer exagero, mas ao longo do tempo é essa a sensação.

Houveram diversas ondas ao longo dos anos, como as derivadas do próprio home office: o cocooning, no qual as pessoas se concentram totalmente em casa até mesmo para o lazer e o wealthy, que consiste em buscar o emprego que te garanta, em primeiro lugar, qualidade de vida e paz de espírito. Dentre essas e outras opções, eu aposto no coworking como a que melhor une praticidade e a possibilidade de total imersão nas atividades de trabalho.

Apesar de todas as vantagens, estar em outro local garante que os problemas ou percalços da vida cotidiana por um período de horas fiquem da porta para fora. No coworking tudo é pensado para que quem trabalha lá tenha o foco apenas nas tarefas que precisa desempenhar. Seja em casa ou em um escritório tradicional, as contas chegam debaixo da porta, há o stress com a logística do local e outros fatores que podem prejudicar a performance. Pensamos o coworking como um ambiente que favorece o coletivo e extrai dele seu potencial total.

Entendo que trabalhar sozinho possa render bons frutos, mas quando se está em um ambiente cheio de ideias e pessoas com a mesma vontade de crescer, isso potencializa todas as possibilidades. Uma comunidade colaborativa, por exemplo, proporciona aos residentes uma gama enorme de oportunidades, crescimento profissional, amizades e muito networking.

O importante é que, não importa seu estilo de trabalho, ele deve ser o melhor para si mesmo. No entanto, se você quiser um ambiente que seja melhor para todos, o coworking está de portas abertas.


*Jorge Pacheco, CEO e fundador da Plug, empresa que utiliza a cultura de coworking.


Fonte: http://revistamelhor.com.br/coworking-home-office-e-pluralidade-de-possibilidades

Fonte da imagem: Clique aqui

7 Atitudes que bloqueiam sua criatividade



Autor: Roni Silva

Nosso cérebro é capaz de produzir ideias até mesmo quando estamos dormindo, a complexidade das coisas que podemos fazer é infinita de modo que todos os dias pode-se aprender e criar algo novo. Embora a capacidade de inovar seja grande, a maneira com que cada um se comporta pode ajudar ou dificultar o seu processo criativo.

O comportamento é uma chave importante para as pessoas e quando se trata de criatividade esta característica é fundamental. Vale lembrar que o comportamento é algo natural, mas que pode ser moldado a favor de necessidades específicas, sendo assim, uma pessoa que deseja ser criativa deve prestar atenção em todas as suas ações para não se prejudicar.

Conheça as ações e atitudes que mais podem bloquear a criatividade:

Medo

O medo é um grande vilão da criatividade, medo do novo, medo de receber críticas, medo de tentar, não importa qual seja o medo, ele irá te bloquear. A melhor dica para se esquivar dele é trabalhar duro. Dê o melhor de si sempre e se algo der errado lembre-se que o melhor foi feito e que se o resultado não foi o esperado o seu desempenho não é o erro.

Objetividade

A objetividade pode ser favorável em diversas áreas e momentos, mas quando se trata de criatividade ela pode ser um forte empecilho. Quando se corta caminhos para chegar rapidamente a uma solução ou linha de raciocínio, automaticamente as possibilidades se limitam e soluções originais e criativas tendem a ser trocadas naturalmente por opções mais simples.

Passividade

A dedicação e a vontade são fatores cruciais para o processo criativo, por isso, sentar e esperar não é a postura correta para um profissional. Participe, se envolva, faça a diferença e expulse qualquer resquício de passividade. Uma pessoa passiva tende a ser um ótimo ouvinte, mas para criar e inovar é preciso fazer mais, ouvir é importante, mas a criação surge de ideias e ideias só têm valor quando são expostas.

Resistência a mudanças

Faz parte do processo criativo mudar constantemente de ideias, experimentar novas perspectivas e enxergar além, mas para isso é preciso não temer as mudanças. Rotinas não combinam com inovação, por isso, o novo deve ser algo desafiador e não um motivo para se proteger, confie no seu potencial e na sua capacidade.

Falta de perseverança

Ao construir novos conceitos é preciso entender que nem tudo será tão fácil e rápido. Normalmente o processo criativo exige pesquisas, planejamento, planos de ação e muita paciência. A perseverança pode ser a sua maior aliada, saber esperar o momento certo para agir, questionar e cobrar pode definir o sucesso de seus ideais. Persevere!

Excesso de métodos

Métodos são úteis para diversas atividades e procedimentos, mas pode ser perigoso quando se perde a medida. Uma pessoa metódica normalmente não enxerga novas possibilidades e perde assim a capacidade de fazer diferente. Seja metódico, mas na hora de exercer a sua criatividade esqueça os padrões e aja com naturalidade.

Falta de humildade

Uma das experiências que mais proporcionam possibilidades de aprendizado é o contato humano, mas para isso é preciso de humildade. No mundo organizacional cada pessoa, cada área e setor faz parte de um todo e os resultados positivos e negativos afetam todos, de cima a baixo. Esteja aberto a novas conexões, converse, interaja, absorva tudo de bom que as pessoas possam oferecer e deixe sua capacidade de criar mais aguçada.
Fonte da imagem: Clique aqui

7 dicas para criar um blog eficaz para sua empresa

Por Daniela Moreira

A arquiteta e estilista Katia Stocco tinha um blog em que compartilhava informações e dicas sobre moda e beleza. A ideia começou como um hobby, mas ela logo percebeu que a audiência só crescia. Por meio do contato com as pessoas que visitavam sua página, ela notou que havia uma carência de novidades no mercado de acessórios. 

Foi então que Kátia teve a ideia de criar uma loja especializada só nesses produtos. A blogueira se juntou ao irmão, Rodrigo Stocco, e juntos criaram a rede de franquias My Gloss. A marca continua dando dicas de moda e usando o blog para atrair potenciais clientes, e os posts alcançam cerca de 5 milhões de pageviews por semana.

Confira abaixo as dicas da dupla para usar essa mídia social para impulsionar o marketing da sua empresa:

1. Crie conteúdo relevante 

Se o público-alvo da marca são mulheres ligadas em moda, o blog não deve falar sobre culinária, por exemplo.Também não vale a pena divulgar informações só sobre moda sem trazer novidades ou dicas úteis para o leitor. O conteúdo tem que ser atraente e de qualidade.

2. Cuide de sua credibilidade 

Certifique-se da veracidade e procedência das informações que você está divulgando. O objetivo é tornar o seu blog uma referência para usuários da internet, portanto apure com cuidado o que você for postar.

3. Pegue leve na propaganda própria 

Não encha o espaço apenas de propagandas da sua empresa, já que isso pode cansar o visitante e até transformar um admirador da marca em um detrator. "Blog não é ferramenta para vender e sim para se relacionar com o leitor", diz Rodrigo.

4. Interaja com o público 

Responda aos comentários, faça perguntas, peça opinião. "Provocar a interação com o público é fundamental para que ele se sinta parte deste trabalho e tenha cada vez mais afinidade com sua marca", afirma Rodrigo.

5. Use uma linguagem adequada 

Adapte o vocabulário usado nos posts ao do seu publico. Você precisa se comunicar como ele da melhor forma, para que as mensagens consigam tocá-lo. O publico não se sente inclinado a escutar alguém que não fala a mesma língua que ele.

6. Use de técnicas de otimização de buscas 

O famoso SEO (do inglês, Search Engine Optimization) é importante para trazer mais pessoas para a sua página. Quanto mais visitas, maior a relevância do seu conteúdo. Existem profissionais para fazer um bom trabalho de otimização, mas você já pode fazer uma parte sozinho. Na internet, é possível encontrar algumas dicas com técnicas e métodos para melhorar a posição dos seus posts em sites de buscas.

7. Invista em uma equipe dedicada ao blog 

Se você pretende produzir com periodicidade e manter um blog de qualidade e que vire referência, deve pensar em contratar uma equipe de comunicação para se dedicar a isso. Além de produzir conteúdo, essas pessoas também precisam ficar de olho nas métricas e resultados para direcionar o trabalho da empresa.

Fonte: Revista Pequena Empresa Grandes Negócios
Fonte da imagem: Clique aqui

Os 5 pilares do Inbound Marketing


Agora chegou a hora de conhecer os 5 pilares do inbound marketing. Antes disso, porém, cabe trazer uma informação extra: o Inbound e o Marketing de Conteúdo se ajudam mutuamente. Um depende do outro. Enquanto o Inbound precisa de conteúdo para disseminar os serviços ou produtos de uma marca, este conteúdo precisa de meios para alcançar o público-alvo.


1. O conteúdo de qualidade

Esteja sempre a postos para esclarecer dúvidas e dê especial atenção ao conteúdo da sua marca em seus canais digitais. Este conteúdo, não necessariamente focado em vendas, deve passar a imagem da empresa, seus valores e em que ela pode ser útil para seu público, não se limitando apenas ao propósito final de fazer com que as pessoas comprem. Trabalhe o envolvimento delas com a sua marca e, para isso, produza e compartilhe um conteúdo de qualidade, que agregue valor e que o aproxime de seu público-alvo. O marketing de conteúdo é vital para manter o seu negócio sempre em contato com o seu target.
 
2. Atendimento personalizado 

A abordagem deve ser de acordo com cada grupo de pessoas e com o momento em que elas se encontram na jornada de compra. O ideal é a sua empresa interagir levando em consideração as etapas em que elas se encontram, oferecendo um conteúdo que acompanhe o grau de interesse dessas pessoas. É isso que as levará à etapa final, que é onde as conversões acontecem. Em suma, entenda que a pessoa que visita a sua página pela primeira vez e a que já criou um hábito de voltar a ela em outras ocasiões devem ser impactadas de maneiras diferentes. O processo de fidelização depende disso para, de fato, acontecer.

"A pessoa que visita a sua página pela primeira vez e a que já criou um hábito de voltar a ela em outras ocasiões devem ser impactadas de maneiras diferentes. O processo de fidelização depende disso para, de fato, acontecer".

3. De olho na própria experiência

Para conhecer melhor a própria empresa e de que maneira deve se relacionar com seu público, é importante voltar o olhar para dentro, isto é, para as próprias ações. Assim, você vai conhecer melhor o seu negócio, as pessoas que, de alguma maneira, se interessam por ele, e o que pode ser feito para melhorar ainda mais essa comunicação. Ao voltar esse olhar para si, na figura da sua empresa, você observa melhor o que funciona e o que não traz resultados tão animadores. Além disso, conhece melhor o seu público e o mercado que faz parte. Faça essa análise e use isso a favor do seu negócio em ações futuras.

Saber a hora de compartilhar um tipo de conteúdo tem também muito a ver com isso. Ao fazer uma análise de seu negócio, você passa a entender o que é melhor para ele, a valorizar melhor publicações e lançamentos. Ter esse tipo de segurança é algo que você pode desenvolver. Basta ter esse olhar atento para o conteúdo que produz e a receptividade que ele tem.

4. Ampla atuação digital

Quantos mais canais digitais a sua empresa tiver, melhor. Explore o potencial de cada ferramenta para fazer o Inbound Marketing acontecer. Facebook, Twitter, Instagram, blog, site, Google, YouTube, enfim, esteja presente, ao menos, nos principais canais para levar a sua comunicação mais longe. Esteja onde o público está. Entenda as especificidades de cada ferramenta e crie uma identidade para a sua marca em todas elas.
 
5. Acompanhamento de métricas

O quinto e último pilar diz respeito ao acompanhamento dos resultados das ações. O Inbound é eficaz justamente por proporcionar isso, ou seja, por permitir o monitoramento, em tempo real de toda campanha previamente pensada e colocada em prática. Seus bons resultados dependem das métricas para se tornarem uma realidade. Sendo assim, fique de olho e promova as mudanças que se fizerem necessárias.

 
Fonte: Tsuru Agência Digital
Fonte da imagem: Clique aqui
 
 

Como esta técnica simples de marketing já salvou muitas empresas

O que é inbound marketing? Saiba como a estratégia de produção de conteúdo qualificado pode aumentar as vendas do seu negócio 

Por Mariana Fonseca

Quando se pensam em estratégias de marketing, a primeira que vem à mente é a de inserir comerciais: você está assistindo a uma novela na televisão e, de repente, uma propaganda aparece.
PUBLICIDADE

Os tempos mudaram. Hoje, o mundo do marketing prefere um modelo mais parecido com o da Netflix: direcionar a série certa para o público certo é que gerará mais vendas, e não a inserção de publicidade.

É mais ou menos assim que o inbound marketing – um termo que ganhou notoriedade no mundo das empresas nos últimos anos – funciona. Por meio de produção de conteúdo relevante e de relacionamento com o consumidor, um negócio consegue atrair seus clientes e gerar vendas mais qualificadas de seus produtos e serviços.

O inbound tem apresentado resultados relevantes: segundo a startup Resultados Digitais, 93% das compras efetuadas em ambiente online começam com uma simples pesquisa em buscadores. Além disso, 80% dos consumidores preferem buscar informações sobre um determinado produto em um artigo completo do que em um anúncio publicitário.

“Antes, eu era obrigado a ver um conteúdo em um certo horário e suportar os comerciais. A publicidade tradicional começou a perder valor: as pessoas não têm mais paciência e ela está cada vez mais curta, como vemos no YouTube, que possui anúncios com duração de 15 a 30 segundos”, explica Vitor Peçanha, co-fundador da Rock Content.

O lado bom disso tudo: agora, as pequenas e médias empresas conseguem fazer um marketing tão eficiente quanto as gigantes, já que a regra é ser relevante e não pagar anúncios vultosos em grandes canais de mídia.

Mas como sua pequena empresa pode aproveitar o inbound marketing, que não envolve grandes custos, para incrementar as vendas durante a recessão econômica? Confira, a seguir, como fazer bom uso dessa estratégia: 

A base do inbound marketing

O primeiro passo para fazer o inbound marketing é saber o que seu público-alvo deseja. “Você pode descobrir o que eles querem por meio de pesquisa de volumes de buscas no Google, por exemplo, e isso pode ser feito com softwares gratuitos ou pagos”, explica Peçanha, da Rock Content.

Depois de descobrir interesses, sua empresa deve produzir informações que façam sentido com tais buscas – e o post deve ser tão bem executado que atraia vários potenciais clientes.

“Alguns deles irão se identificar, e aí você conseguirá vender. Esse processo de seleção é conhecido justamente pelo nome de funil de vendas.”

Um exemplo prático do inbound em ação são os blogs: eles produzem postagens relevantes para seu público-alvo, gerando vendas por meio de um modelo que integra conteúdo e publicidade. “Antes, os blogs eram apenas diários pessoais. Agora, são sites estruturados de conteúdo de nicho – ou seja, são o inbound personificado”, explica Celso Fortes, diretor da agência digital Novos Elementos.
Dicas extras para fazer um inbound marketing excepcional

1 – Deixe de lado as propagandas

A primeira dica para sua empresa fazer um inbound marketing excepcional é, claro, não pensar que seus posts são propagandas. “Não corte o conteúdo para falar ‘compre da minha empresa’ ou algo parecido. Seu negócio irá vender como consequência de seu conteúdo ser relevante”, explica Peçanha, da Rock Content.

2 – A mentira não compensa

Da mesma maneira, mantenha o compromisso com seu público-alvo e entregue o que promete em seus títulos e chamadas de busca. “Se a cada etapa, da leitura até a compra, o usuário não receber exatamente o que está procurando, o funil de vendas do inbound marketing é quebrado”, afirma Fortes, da Novos Elementos. “Não adianta você anunciar algo e, quando o cliente entra, ver outra coisa. Há até ferramentas no Google que coíbem esse tipo de anúncio.”

3 – Assuma o compromisso de publicar sempre

Quanto aos posts em si, Peçanha recomenda sempre atualizar o blog da sua empresa com novos conteúdos. “Cada post atrai uma parcela do seu público-alvo. Cobrindo mais temas do universo do seu mercado, suas possibilidades de venda aumentam. Pense em sua marca como uma editora.”

4 – Aposte em conteúdos duradouros

Outra dica é apostar em informações que não percam valor ao longo do tempo – um tipo de conteúdo chamado de evergreen.

Pense em um post como “Cinco receitas para cozinhar com bacon”, por exemplo. “Há informações nesse conteúdo que podem ser relevantes a qualquer momento. Na internet, essa qualidade é muito importante: as pessoas podem pesquisar seu post independentemente do noticiário, gerando tráfego recorrente”, diz Peçanha.

5 – Atenção com as métricas

Mesmo a base do inbound marketing sendo a produção de informações relevantes, a técnica vai além de um simples “marketing de conteúdo”. Uma parte igualmente essencial é a medição dos resultados em termos de receita para sua empresa.

“Muita gente esquece da parte de ter uma metodologia para transformar toda essa audiência em vendas. Acompanhe todas as métricas: visitas globais, visitas de cada post e, principalmente, quanto é vendido a cada mil visitas”, conclui Peçanha.

Fonte: Exame
Fonte da imagem: Clique aqui 

o que os clientes falam

Contamos com a assessoria da ACTIO Consultoria e da PRINCIPIUM, e temos conseguidos nos organizar tanto offline como online, modernizamos a logomarca, e estamos mais atuantes nas redes, e como resultado aumentamos o faturamento. Só temos a fortalecer a parceria.

Lailton Francisco

CEO da Sua Farmácia Manipulação

Sempre com capricho e atendendo minha necessidade de comunicação visual, minha logomarca, meus cartões e cartazes, além de cuidar de nossa visibilidade nas redes sociais, e sempre ficam um espetáculo.

Adriana Bezerra

Fature Contas Médicas

A PRINCIPIUM tem nos acompanhado mês a mês, com soluções em mídias sociais, trabalhos gráficos, além de aconselhamento na parte de consultoria empresarial. Sempre que precisamos ela está ao nosso lado.

Elinara Paiva

Comercial Ferro & Aço

A PRINCIPIUM criou minha logo e achei fantástica, ficou melhor do que eu estava esperando, bastou apenas mandarem dois modelos e eu gamei no segundo modelo de logo, tudo de acordo com que solicitei.

Simone Primula

Coruja de Rimel

(83) 999 854 484
principiumdigital@gmail.com
(83) 996 563 112
João Pessoa, Brasil

Contato Principium