Olá!

Principium Digital

Marketing Digital Gestão de Mídias Sociais Marketing Estratégico e Comunicação Naming Desenvolvimento de Marca Inbound Marketing

Saiba Sobre

Olá!

Principium Ditital

Marketing e Comunicação Digital

A Principium digital foi idealizada pensando nas pequenas empresas e profissionais autônomos, que precisam de ajudar no mundo digital, com experiência em comunicação estratégica para marcas, com foco em geração de valor e negócios, e com 100% de foco em resultados. Diante de centenas de tecnologias e redes sociais que mudam o tempo todo, cabe a nós a função de filtro onde estudamos e selecionamos as melhores ferramentas e serviços para nossos clientes. Não acreditamos que exista uma solução “pronta” para o sucesso de nossos clientes. Assim, é também o papel da Principium Digital diagnosticar, pesquisar e testar nossas soluções, criando uma fórmula específica para o sucesso de cada cliente...

experiência

Gestão de mídias sociais

Sua empresa na rede

Voltada para pequenas e médias empresas. Alcance maior visibilidade para a sua marca e crie um relacionamento com os clientes.

Criação de LOGOS

Design

Temos experiência no desenvolvimento de logos e na criação de identidade visual, assim criamos a personalidade de que precisa

Criação de Blog

De forma simples e direta

Uma solução de baixo custo, para colocar a sua empresa em uma primeira experiência através da sua página na internet

Elaboração de Plano de Marketing

Faremos isso juntos

Elaboramos um plano para seu desenvolvimento no varejo "online" e "offline", e faremos isso do jeito que você precisa com sua ajuda.

O que fazemos

Naming

Naming é o trabalho de escolha do nome do produto, serviço ou empresa estabelecendo uma relação direta com o posicionamento pretendido.

comunicação digital

Através da comunicação digital, teremos uma maior proximidade e controle de seus clientes no processo de construção de marca.

Marketing Estratégico

Envolve planejamento e análise com uma visão de futuro, e também foco total nos desejos, necessidades e interesses dos clientes.

Mídias sociais

São sistemas projetados para possibilitar a interação social a partir do compartilhamento e da criação colaborativa de informação nos mais diversos formatos.

desenvolvimento de marca

Por meio de práticas e técnicas de comunicação, design, marketing, entre outros, é possível manter uma marca sempre no topo.

Social ads e Links Patrocinados

Utilizamos informações de perfil e preferência de usuários para conectar sua marca a potencial consumidores através das redes sociais.

9

CLIENTES

23

REUNIÕES

6

PROJETOS

268

AÇÕES DE MÍDIA

artigos, textos e projetos

Mostrando postagens com marcador e-commerce. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador e-commerce. Mostrar todas as postagens

Coworking, home office e a pluralidade de possibilidades




Por Jorge Pacheco*

Nos anos 90, uma tendência chegou com força no mercado de trabalho, o home office. Ela consistia em uma pessoa trabalhar em sua casa, fazendo de sua residência seu escritório. As vantagens eram muitas, sem trânsito, sem o contato com terceiros, uma maravilha.

No entanto, fazer da sua casa seu ambiente de trabalho traz algumas desvantagens. Primeiramente, precisamos ter clara a divisão entre local de trabalho e de descanso. Se isso não ocorrer, é como se morássemos no escritório, usando o banheiro do escritório, a cozinha do escritório e dormindo entre as mesas. Pode parecer exagero, mas ao longo do tempo é essa a sensação.

Houveram diversas ondas ao longo dos anos, como as derivadas do próprio home office: o cocooning, no qual as pessoas se concentram totalmente em casa até mesmo para o lazer e o wealthy, que consiste em buscar o emprego que te garanta, em primeiro lugar, qualidade de vida e paz de espírito. Dentre essas e outras opções, eu aposto no coworking como a que melhor une praticidade e a possibilidade de total imersão nas atividades de trabalho.

Apesar de todas as vantagens, estar em outro local garante que os problemas ou percalços da vida cotidiana por um período de horas fiquem da porta para fora. No coworking tudo é pensado para que quem trabalha lá tenha o foco apenas nas tarefas que precisa desempenhar. Seja em casa ou em um escritório tradicional, as contas chegam debaixo da porta, há o stress com a logística do local e outros fatores que podem prejudicar a performance. Pensamos o coworking como um ambiente que favorece o coletivo e extrai dele seu potencial total.

Entendo que trabalhar sozinho possa render bons frutos, mas quando se está em um ambiente cheio de ideias e pessoas com a mesma vontade de crescer, isso potencializa todas as possibilidades. Uma comunidade colaborativa, por exemplo, proporciona aos residentes uma gama enorme de oportunidades, crescimento profissional, amizades e muito networking.

O importante é que, não importa seu estilo de trabalho, ele deve ser o melhor para si mesmo. No entanto, se você quiser um ambiente que seja melhor para todos, o coworking está de portas abertas.


*Jorge Pacheco, CEO e fundador da Plug, empresa que utiliza a cultura de coworking.


Fonte: http://revistamelhor.com.br/coworking-home-office-e-pluralidade-de-possibilidades

Fonte da imagem: Clique aqui

Vale mais a pena ter uma loja virtual ou vender via marketplace?

Está dúvida sobre o que vale mais a pena para o seu negócio? Veja essas dicas e defina sua presença na internet para vender mais.
 
Por Cristina Farjallat, especialista em negócios digitais

Hoje em dia nada mais natural para um empreendedor do que estar presente em um ambiente digital, seja com uma loja virtual ou em um marketplace. Os motivos para ter presença online são muitos, mas há sempre a finalidade de atrair clientes e dar mais visibilidade ao negócio.

Porém, qual a diferença entre ter apenas uma loja virtual e vender em um marketplace? Quais são as vantagens e desvantagens de cada um? É importante e essencial avaliar o perfil do negócio antes de tomar uma decisão.

Estar em um marketplace significa ter um fluxo de acesso muito maior do que em seu próprio site. A força geradora de audiência é muito mais poderosa para quem quer vender, além de disponibilizar mais ofertas para quem quer comprar. A quantidade e variedade de ofertas é um grande chamariz de clientes.

Enquanto o vendedor se dedica 100% ao portfólio de produtos, gestão de seu negócio e atendimento ao cliente, o administrador do marketplace, fornecedor da solução, fica responsável por grande parte do trabalho, como visibilidade, divulgação das ofertas, investimento em tecnologia, sistemas de pagamento e logística, etc. Esses são alguns motivos que fazem com que os marketplaces sejam uma ótima opção para os empreendedores.

O Mercado Livre, por exemplo, conta com um sistema de reputação. Nele, o comprador pode analisar o vendedor atribuindo notas, levando em consideração a qualidade do negócio efetuado. De acordo com essa avaliação, as vendas crescem ou diminuem, fazendo com que o ambiente do marketplace seja ainda mais democrático.

Os sites de e-commerce com maior audiência no mundo, ou seja, que mais recebem visitas, são os marketplaces. Conhecidos também por shoppings virtuais, estima-se que esse modelo de negócio corresponda a 90% do faturamento do varejo online na China e 33% nos Estados Unidos, de acordo com dados da empresa de tecnologia Channel Advisor. No Brasil, esse número chega a cerca de 20%.

Mas então, diante desse contexto, há alguma vantagem em ter apenas a loja virtual, sem presença no marketplace? Pensando em autonomia nas ações, sim. A liberdade para interagir, criar relacionamentos e vender como achar melhor podem ser vantagens quando o assunto é a margem de lucro, que pode ser maior já que não há comissões e taxas como é o caso do marketplace.

Ainda sobre a questão financeira, a gestão é feita inteiramente pelo próprio empreendedor, que também terá que atrair os clientes para seu endereço virtual por conta própria. Ele poderá expor os produtos e não irá se preocupar com a concorrência, que no caso do marketplace, estará possivelmente na mesma página.

Tendo em vista a competitividade do mercado virtual atualmente, o cenário ideal é possuir uma loja virtual própria e posicioná-la dentro de um marketplace. Grandes varejistas do Brasil e do mundo já estão fazendo isso. Assim será possível gerar mais tráfego para o seu próprio site, já que os visitantes irão se interessar pelo produto exposto no marketplace e buscar outras mercadorias, e estar mais visível no acirrado mundo das compras online.

Cristina Farjallat é diretora do marketplace do Mercado Livre no Brasil. 
 
Fonte: Exame
Fonte da imagem: Clique aqui

3 passos simples para vender mais (e melhor) pela internet

O comércio eletrônico não é diferente do comércio tradicional no fato de que, para que as vendas aconteçam, você precisa de presença na sua loja
Por Mariana Fonseca

Como vender bem numa loja virtual? O comércio eletrônico, em sua essência, não difere do comércio tradicional. Para que as vendas aconteçam você precisa de presença – ou tráfego – na loja. Para que tenha esse tráfego, é necessário atrair o seu público e só existe uma forma de fazer isso: presença nos canais onde seu cliente está.

As diferenças começam nas formas pelas quais você faz isso. Na internet, por exemplo, uma das primeiras coisas com as quais você precisa se preocupar é como está sua presença nesta mídia. Sim, internet é uma mídia, que permite a veiculação de informação e publicidade. Mas também é uma plataforma que permite a realização de transações.

Da mesma forma que você precisa estar presente na mídia comum para atrair pessoas para sua loja física, deve estar presente na internet para que seu público alvo e potenciais clientes que navegam por ela possa identificar você como possível fornecedor de produtos e serviços que atendam às suas demandas.

Mais do que a expressão da moda, a ferramenta adequada para fortalecer sua posição na internet e com isso criar condições para aumentar o tráfego em sua loja virtual é o chamado inbound marketing: atrair potenciais clientes com a publicação de conteúdos interessantes, gratuitos, relevantes para o seu público alvo e relacionados direta ou indiretamente ao produto ou serviço que vende é o princípio ativo desta ferramenta.

Iniciativas de inbound marketing podem ajudar a manter e aumentar suas vendas em seu comércio eletrônico de algumas formas.

Você já está na internet, tem um site e usa as mídias virtuais para apoiar sua presença virtual. Por que não utilizar esses canais para manter o contato de seus clientes com sua marca, com informação de qualidade e gratuitas?

Tudo o que você precisa é que deixem seus e-mails, para você utilizar em campanhas de e-mail marketing, por exemplo. Alguns deles irão além e poderão partir diretamente para a sua loja virtual para conferir alguma coisa relacionada ao que ele leu.

Para que esse esforço valha a pena e funcione, você precisa prestar atenção em alguns pontos importantes para o chamado marketing na internet: 

1 — Tenha atenção com seu site

Seu site é como a arquitetura e decoração de uma loja física. Precisa ser atraente, passar o seu posicionamento e diferenciais, falar a linguagem adequada ao seu público alvo e ser fácil de usar. Um site mal desenhado afasta o potencial cliente. Jamais o negligencie.
2 — Construa conteúdos relevantes para quem interessa a você

Procure conhecer quem compra em sua loja. Você precisa endereçar seus conteúdos e ofertas a estas pessoas. Uma forma interessante de fazer isso é criar personagens inspirados na vida real que descrevam seus clientes potenciais – as chamadas personas. Enderece seus esforços para essas personas e você provavelmente atingirá em cheio quem você procura.

3 — Utilize com sabedoria as ferramentas de busca

Umas das condições mais importantes para o aumento do tráfego e, consequentemente, das vendas em sua loja virtual é utilizar estratégias que coloquem seu site nas primeiras posições de busca no Google, por exemplo.

São as ferramentas de otimização de busca (SEO, em inglês). Isso vai ajudá-lo a ser encontrado pelos seus clientes potenciais ao buscarem por produtos ou serviços que você vende.

É claro que, para que a compra se efetive, você precisará ter bons produtos e bom atendimento. De nada adianta atrair e deixar o seu potencial cliente frente a frente com a compra se você tornar as coisas difíceis para ele ou não prover os meios necessários para que tenha suas dúvidas esclarecidas. Ajude o seu cliente a comprar e tenha sucesso!

Enio Klein é CEO & General Partner da empresa de consultoria Doxa Advisers.
Fonte: MPE Exame

o que os clientes falam

Contamos com a assessoria da ACTIO Consultoria e da PRINCIPIUM, e temos conseguidos nos organizar tanto offline como online, modernizamos a logomarca, e estamos mais atuantes nas redes, e como resultado aumentamos o faturamento. Só temos a fortalecer a parceria.

Lailton Francisco

CEO da Sua Farmácia Manipulação

Sempre com capricho e atendendo minha necessidade de comunicação visual, minha logomarca, meus cartões e cartazes, além de cuidar de nossa visibilidade nas redes sociais, e sempre ficam um espetáculo.

Adriana Bezerra

Fature Contas Médicas

A PRINCIPIUM tem nos acompanhado mês a mês, com soluções em mídias sociais, trabalhos gráficos, além de aconselhamento na parte de consultoria empresarial. Sempre que precisamos ela está ao nosso lado.

Elinara Paiva

Comercial Ferro & Aço

A PRINCIPIUM criou minha logo e achei fantástica, ficou melhor do que eu estava esperando, bastou apenas mandarem dois modelos e eu gamei no segundo modelo de logo, tudo de acordo com que solicitei.

Simone Primula

Coruja de Rimel

(83) 999 854 484
principiumdigital@gmail.com
(83) 996 563 112
João Pessoa, Brasil

Contato Principium